Garantir a segurança de uma rede de computadores envolve muitos fatores.

Engana-se quem pensa que o combate a ameaças e invasões, nas empresas, se limita apenas a instalação de antivírus. Entre alguns pontos, é importante avaliar a escolha de um servidor corporativo, conscientizar os colaboradores para que eles utilizem os recursos tecnológicos de forma segura, investir em criptografia e também fazer uso de um firewall.

Você já se perguntou como o firewall pode contribuir para a segurança de dados da sua empresa?

Para aprender mais sobre este recurso e tirar as suas principais dúvidas, continue lendo este artigo.

 

Primeiro, o que é um firewall

O Firewall é um sistema desenvolvido para prevenir o acesso não autorizado a uma rede privada, ou proveniente dela. A tarefa básica do Firewall é controlar o tráfego entre redes de computadores com diferentes níveis de confiança, como a rede Internet (zona não confiável) e a rede interna de uma empresa (zona confiável).

Além desse sistema ser capaz de restringir e controlar o fluxo do tráfego de dados entre redes, mais comumente entre uma rede interna e a Internet, os Firewalls podem estabelecer regiões seguras entre redes internas, criando perímetros de segurança com políticas específicas para os sistemas que abrigam.

Em outras palavras, o Firewall funciona como um filtro, que verifica constantemente o fluxo de dados na sua organização, analisando a sua procedência. Assim, o Firewall é capaz de prevenir ataques de vírus e outras ameaças cibernéticas, controlar acesso a blogs, redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas, além de gerenciar acessos de dispositivos móveis.

A sua tradução literal, “parede de fogo”, já indica que o Firewall é uma solução que se enquadra em uma espécie de barreira de defesa, sendo o seu objetivo principal bloquear tráfego de dados indesejados e liberar acessos bem-vindos, ou seja, ele é fundamental para proteger as informações manipuladas por toda organização.

Porém, essa não é a única funcionalidade e o único benefício de segurança que o Firewall pode oferecer à rede de ambientes corporativos, segue alguns exemplos:

Permite acesso remoto e seguro via VPN

Outra funcionalidade oferecida por sistemas de Firewall é a possibilidade de acesso externo aos computadores de uma rede interna, de forma segura através de conexões criptografadas (VPN SSL).
O acesso remoto externo a estações e servidores da rede, por meio de chaves seguras ou autenticação de usuário e senha em uma base local, é uma ferramenta útil para nos dias atuais, visto que o acesso a dados, remotamente, é uma demanda que pode surgir e precisa ser realizada de modo seguro.

Bloqueio de conteúdos impróprios e perigoso:

O bloqueio de conteúdos impróprios, e que podem trazer riscos à rede da empresa, é uma funcionalidade que, além de evitar o desperdício de tempo, garante uma navegação segura.
Para se ter ideia, dependendo do perfil do usuário, é possível aplicar políticas aos sites visitados pelos clientes da rede local, evitando, por exemplo, que um colaborador possa entrar em um site ou uma URL suspeito e com palavras abusivas.
O controle pode ser configurado por endereço IP da estação ou através de autenticação de usuário e senha em uma base local ou uma base já existente. Esse procedimento evita o aumento da contaminação por vírus, trojans, spywares e outras ameaças que podem causar danos irreversíveis aos dados abrigados pelos sistemas da companhia.

Faz o controle de banda e roteamento avançado

O Firewall oferece, em sua gama de funcionalidades, o controle de taxas máximas de download e upload que cada usuário ou servidor poderá consumir. Muito útil para evitar que um único usuário ou servidor congestione links de Internet. Também é possível forçar IPs de origem e/ou destino para utilizarem determinado link de Internet.

Garante uma alta disponibilidade

A partir da implementação de sistemas de Firewall de Borda, é possível configurar múltiplos links de Internet e realizar a troca, automática ou manual, de roteamento em caso de falhas.

Gera estatísticas de acesso

Os Firewalls também são capazes de gerar gráficos e relatórios que possibilitam analisar o fluxo dos dados entre as redes. Mais especificamente, esses sistemas podem metrificar o consumo dos circuitos de Internet, consumo dos circuitos de Internet por cada endereço IP de rede local, além de produzir relatório de sites acessados por nome do usuário ou IP da estação.

Resumindo, com o firewall você teria uma camada de segurança a mais em sua rede, poderá acessa-la de qualquer ambiente e ainda poderá ter um controle bem maior e mais seguro de seu ambiente.

 

Os tipos de firewall

Existem três principais tipos de firewall e cada um exerce uma função específica. Porém, alguns dispositivos também realizam funções adicionais, como: autenticação e certificação de usuários, VPN – Virtual Private Network – e NAT – Network Address Translation.


Vejamos agora três tipos de firewall:

Packet filtering
Apesar de oferecer um excelente nível de segurança, o packet filtering — filtragem de pacotes — possui uma metodologia simples.

Basicamente, o programa analisa uma lista de regras configuradas pelo desenvolvedor e verifica quais informações são compatíveis. A partir dessa análise, o firewall autoriza ou não a entrada e saída do pacote de dados.

O sistema se divide em dois tipos: o estático e o dinâmico.

Estático - analisa os dados com base nas diretrizes configuradas, independentemente da ligação de um pacote com o outro. Dinâmico - permite que as regras sejam adaptadas conforme a situação, corrigindo as limitações dos filtros estáticos.

 

Proxy services
Também conhecido como “firewall de aplicação”, o dispositivo funciona como um intermediário entre um computador ou rede interna e outra rede, como a internet. Como lidam com um grande número de solicitações, os proxys são geralmente instalados em servidores potentes.

Esse tipo de firewall é uma excelente opção de segurança, pois impede a comunicação direta entre a origem e o destino.

Isso permite que o dispositivo analise todo o fluxo de pacotes, possibilitando o estabelecimento de regras que bloqueiam o acesso de determinados endereços externos.

Além disso, o firewall de aplicação também possui outras finalidades, como o registro de entradas e saídas de dados em arquivo de log, armazenamento de informações em cache e autorização de recursos mediante a autenticação do usuário.

 

Stateful inspection
O firewall de stateful inspection — inspeção de estado — realiza uma espécie de comparação entre o que está acontecendo e o que se espera que aconteça.

O dispositivo executa essa ação através da análise do tráfego de dados, em busca padrões aceitáveis pelas suas diretrizes, que seriam utilizadas para manter a comunicação.

Esses dados são armazenados pelo firewall e utilizados como parâmetro para o tráfego subsequente.

Isso quer dizer que, se a entrada e saída das informações ocorrer através de uma porta não mencionada, o firewall interpretará isso como uma anormalidade e realizará o bloqueio do procedimento.

 

O firewall é um recurso básico de segurança.

Para concluir, vale ressaltar que o firewall é um recurso básico de segurança para as redes de computadores. Para garantir uma proteção completa, é preciso investir em uma série de ações. Entretanto, ele é uma ferramenta absolutamente necessária atualmente. Não contar com ele em uma rede, é como manter a porta de casa aberta. Qualquer pessoa, mesmo que sem a sua autorização, poderá entrar e fazer o que bem entender.

Precisa de ajuda para readequar a segurança da informação de sua empresa?

Compartilhe nas redes sociais:

Vamos Fazer mais juntos?

Vamos Fazer mais juntos?